Crédito entre empresas: conheça essa prática solução para oferecê-la aos seus parceiros

capital de giro Jun 04, 2021

O crédito entre empresas é uma prática normal e corriqueira, uma vez que para abrir um empreendimento do zero, o gestor precisa de uma determinada quantidade de dinheiro: seja para alugar uma pequena sala de escritório, comprar ou alugar computadores, contratar funcionários e comprar insumos.

Buscar crédito para a sua empresa é um fator determinante para manter suas contas no azul, e, de quebra, oferecer um serviço melhor e diferenciado dentro do marketplace.

Porém, devido às recentes crises econômicas vivenciadas no País, com trocas de governo e estratégias econômicas e políticas,  somado ao impacto da pandemia,pequenos empreendedores sentem dificuldades em obter financiamento para seus negócios.

Segundo um levantamento realizado em 2019 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), aproximadamente 34% dos pequenos empresários consideram difícil a contratação de linhas de crédito para Pessoa Jurídica, muito disso devido ao excesso de burocracias, exigidas pelas  instituições bancárias tradicionais e, claro, as abusivas taxas de juros dos empréstimos tradicionais.

Em contrapartida, muito se evoluiu de 2019 para cá, apesar do curto espaço de tempo. Com o boom das fintechs e bancos digitais, tais como Nubank, Banco Inter, C6 Bank, a Dinie, dentre outros, conseguir linhas de crédito ficou muito mais fácil e menos burocrático.

Aliás, existem dezenas de modalidades de crédito que viabilizam desde a abertura de uma empresa até o impulsionamento do negócio, independente do ramo e estrutura empresarial. E o melhor de tudo: os juros são mais acessíveis e os prazos para pagamento viáveis.

Com o intuito de auxiliar o micro e pequeno empreendedor, a Dinie preparou este artigo para discutir sobre crédito entre as empresas, e como esta prática pode ser a solução definitiva para o sucesso do seu negócio e de seus parceiros.

Vamos lá!

Crédito entre empresas: o que é isso?

Crédito entre empresas pode ter várias definições, assim como inúmeras finalidades. Trata-se, acima de tudo, de uma fonte de capital para ajudar o seu negócio crescer e criar asas.

Não deve ser confundido como um meio de conseguir empréstimo para fins pessoais. Como Pessoa Jurídica, devemos pensar pelo bem da empresa, independente se é composta por 2, 3 ou 40 funcionários.

Uma empresa precisa de infraestrutura que funcione. Precisa de insumos para produzir os seus produtos, seja lá quais forem (pratos acabados para restaurantes, roupas, acessórios, matéria prima em geral, etc.).

Não somente, o crédito para empresas também serve para o pagamento de contas básicas (luz, água, gás, aluguel, material de escritório, etc), para uma melhor gestão financeira da empresa.

Por outro lado, o crédito entre empresas também pode ser utilizado como capital de giro, isso no início de um empreendimento. Em definição, capital de giro é a diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das despesas e contas a pagar.

Quais são os principais tipos de crédito entre empresas?

Veja abaixo algumas das principais linhas de crédito disponíveis, de empresas para empresas. Essas linhas são destinadas para empresas de pequeno a grande porte, dependendo do caso.

Empréstimo com garantia

Nesta modalidade, como o próprio nome sugere, o interessado apresenta à instituição financeira um bem como garantia de empréstimo e assegura o pagamento das parcelas. Os bens mais comuns são automóveis e imóveis, devido ao alto valor.

Com isso, as chances de inadimplência diminuem, já que um imóvel ou automóvel entrou no contrato. Assim, a instituição consegue oferecer juros mais baixos, em comparação às outras modalidades de empréstimos, bem como prazos mais longos para quitação.

Capital de giro

Conforme já publicamos aqui no Blog da Dinie, capital de giro é o dinheiro que uma empresa precisa para manter o seu negócio funcionando. Dentre diversos aspectos, engloba valores em caixa, depositados em contas bancárias e contas a receber, além de outras obrigações pendentes que podem ser convertidas em dinheiro para quitar as despesas empresariais.

Dentro do capital de giro, existem algumas modalidades: líquido, negativo, própria e associado a investimentos. Confira o nosso post que lá tem mais detalhes!

Peer to Peer (P2P)

O modelo Peer to Peer tem diversas conotações. Na Internet, por exemplo, trata-se da forma em que usuários compartilham arquivos entre si. Podemos citar casos como o BitTorrent ou até mesmo softwares como Napster e eMule.

No ambiente financeiro, o P2P é uma linha de crédito para empresas que conecta tomadores de crédito a investidores por meio de plataformas digitais. Dessa forma, é possível que investidores - que podem ser pessoas físicas ou jurídicas - emprestem dinheiro diretamente para a empresa, ou seja, a operação não depende de um agente financeiro.

Trata-se de um modelo mais livre, com menos burocracia.

Cooperativas de crédito

As cooperativas de crédito conseguem oferecer linhas de financiamento e de empréstimo semelhantes a um agente financeiro. Podem ser produtos como cartões de crédito, financiamentos e empréstimos para capital de giro, com o objetivo de promover o desenvolvimento regional por meio do próprio interesse da comunidade.

O grande diferencial destas cooperativas é que possuem isenção de tributação como o CSLL, PIS e Cofins, uma vez que são organizações sem fins lucrativos.

Para conseguir crédito, é preciso fazer parte da cooperativa e realizar a compra de uma cota, que custa na média de 100 reais. Além disso, o interessado precisa participar das decisões em assembleias como sócio.

Crédito via BNDES

Não poderíamos deixar de citar a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o mais importante de nosso país, para crédito entre empresas.

Aliás, inúmeros projetos de grande porte no ramo de infraestrutura, tais como energia, rodovias e ferrovias, são financiados pelo BNDES.

Para as pequenas empresas, o BNDES desenvolveu uma linha de crédito específica e exclusiva.

A BNDES Crédito Pequenas Empresas é vinculada a agentes financeiros credenciados e oferece limite de crédito máximo de 500 mil reais por cliente a cada 12 meses, com prazo máximo de até 60 meses e dois anos de carência.

A taxa média de juros chega a 1,3% ao mês e inclui a remuneração do BNDES e do agente financeiro envolvido na operação.

Como a Dinie pode ajudar com crédito entre empresas

A Dinie é uma empresa que oferece soluções inteligentes de capital sob demanda para pequenas e médias empresas em todo o Brasil. Seja operando em marketplace de grande escala, ou em um site voltado para um nicho, nossos serviços financeiros se adequam às demandas da sua empresa, e de seus merchants, clientes pessoa jurídica.

Oferecemos estrutura e soluções financeiras viáveis para o seu marketplace, de modo que haja comodidade para os clientes, e fornecedores do seu negócio.

Somos uma plataforma embedded, ou seja, oferecemos soluções de pagamento integrado para o seu negócio, via crédito: o que amplifica as conversões, facilitando o sucesso das operações, seja para clientes finais, ou para parceiros participantes de sua plataforma de marketplace.

Conheça o Limite Dinie!: a solução de capital sob demanda para impulsionar o seu negócio, clique aqui.

Etiquetas